CCCEV na Mídia > Mostra de Processo do Grupo de Pesquisa de Linguagem Cênica Acessível

Mostra de Processo do Grupo de Pesquisa de Linguagem Cênica Acessível

11/12/2014

A Las Brujas Cia de Teatro e feitiços em parceria com a Tagarellas Audiodescrição convidam para Mostra de Processo do Grupo de Pesquisa de Linguagem Cênica Acessível

O Grupo, que vem pesquisando desde Setembro as possibilidades artísticas da audiodescrição no Teatro, irá apresentar suas experimentações no dia 11/12, às 20h30, no Centro Cultural CEEE Erico Verissimo, com entrada franca.


Duas cenas que representam os experimentos do Grupo de Pesquisa de Linguagem Cênica Acessível, constituído em setembro pela Las Brujas Cia de Teatro e feitiços em parceria com a Tagarellas Audiodescrição, além de um trecho da peça Filó de Bolso, serão apresentadas no dia 11 de dezembro, às 20h30, na Sala Noé de Mello Freitas do CCCEV, com entrada franca. O evento finalizará com um coquetel que marca o encerramento do primeiro módulo da pesquisa e também o aniversário de 03 anos da Las Brujas Cia de Teatro e feitiços.
A Mostra de Processo corresponde ao encerramento do primeiro módulo de atividades do Grupo, cujo trabalho no segundo semestre de 2014 foi voltado para a audiodescrição aberta, buscando pesquisar as diferentes formas de utilizar o recurso no teatro, compreendendo improviso de cenas, criação de roteiro de audiodescrição e narração.
A parceria entre a Las Brujas Cia de Teatro e feitiços e a Tagarellas Audiodescrição iniciou-se em 2013, com a montagem do espetáculo de teatro infantil A Menina do Cabelo Vermelho, e consolidou-se com a iniciativa de realizar a primeira temporada de teatro infantil na Região Sul com o recurso de audiodescrição aberta em todas as sessões.
A iniciativa pioneira resultou no convite para integrarem a programação da II Conferência Internacional para a Inclusão em Leiria, Portugal, em julho deste ano. Além da participação em palestras e debates, foi apresentado na Praça Rodrigues Lobo o espetáculo Filó de Bolso – A Menina do Cabelo Vermelho com audiodescrição aberta.
Para atestar a acessibilidade como caráter de pesquisa cênica e diretriz da Las Brujas, criaram em setembro o Grupo de Pesquisa de Linguagem Cênica Acessível e selecionaram interessados em participar das atividades de investigação e experimentação.

Serviço
Mostra de Processo – Grupo de Pesquisa de Linguagem Cênica Acessível.
Realização: Las Brujas Cia de Teatro e feitiços.
Parceiro: Tagarellas Audiodescrição
Promoção: Centro Cultural CEEE Erico Verissimo, Grupo CEEE e Governo do Estado do RS.
Data: 11 de Dezembro de 2014, às 20h30, Sala Noé de Mello Freitas, Centro Cultural CEEE Érico Veríssimo. (R. dos Andradas, 1223 - Centro Histórico, Porto Alegre).
Entrada franca.
Informações: http://lasbrujasciadeteatro.blogspot.com.br/ ou lasbrujasciadeteatro@gmail.com
Público-alvo: Interessados no tema da acessibilidade, artistas e curiosos.
Pesquisadores: Angela Cagliari, Cristina Fraga da Rosa, Daniel Roehe Dornelles, Daniela Dutra, Debora Maier, Joana Amaral, Marcia Caspary, Mariana Hörlle, Simone Dornelles.
Assistentes de Coordenação: Diana Manenti e Kemi Oshiro
Coordenação: Lolita Goldschmidt e Mimi Aragón

Mais Informações

O QUE É AUDIODESCRIÇÃO?
A audiodescrição é um recurso de acessibilidade que amplia o entendimento, principalmente de pessoas com deficiência visual, em peças de teatro, filmes, desenhos animados e outros produtos e eventos audiovisuais. No caso de uma peça de teatro, a narração é feita ao vivo e são descritos os personagens, figurinos, cenários, gestos, expressões, a movimentação dos atores, detalhes sobre a iluminação, enfim, toda informação visual que seja relevante para a compreensão da peça.


A LAS BRUJAS CIA DE TEATRO e feitiços
A Las Brujas Cia de Teatro é uma Cia de Teatro fundada em 2011 pelas atrizes e produtoras Diana Manenti e Lolita Goldschmidt. O encontro das “brujas” aconteceu no Grupo Depósito de Teatro no ano de 2001 onde atuaram juntas. De lá para cá mesmo mantendo trajetórias individuais distintas, os encontros entre a dupla mantiveram-se de forma sistemática durante todos esses anos, sendo eles teóricos ou práticos. As discussões baseadas na experiência de cada uma aprofundaram a relação, fazendo com que fossem traçadas metas e objetivos para a consolidação do Grupo em 2011. Prova disso é O Projeto A Menina do Cabelo Vermelho, que foi pensado e discutido durante dois anos e contemplado com o Prêmio Funarte de Teatro Myriam Muniz 2012. O Projeto traduz a busca da Cia em fazer “arte pra todo mundo”, pois além de abordar na temática do texto a questão das diferenças sócio culturais existentes no mundo, aposta em recursos de acessibilidade como a audiodescrição e libras para contemplar todos os públicos.
Em 2013, a Las Brujas é convidada para criar as Performances de Natal da Exposição “A História do Natal” promovida pelo Santander Cultural de Porto Alegre. Em 2014, a Cia renova essa oportunidade, onde levará dessa vez o formato Teatro de Bolso com audiodescrição e libras para dialogar com a Exposição. A direção do trabalho é das atrizes e fundadoras Diana Manenti e Lolita Goldschmidt.
Em 2014, a atriz Dani Dutra passa a integrar a Cia, agora formada por três mulheres.
Em parceria com a Tagarellas Audiodescrição criam o Grupo de Pesquisa em Linguagem Cênica Acessível onde se reúnem com outros artistas selecionados através de uma audição para criar uma nova Linguagem Teatral, explorando os potenciais artísticos de recursos de acessibilidade (principalmente da audiodescrição) na criação de espetáculos teatrais. Pretende-se com essa pesquisa descobrir métodos e termos que colaborem para que seja possível contemplar uma plateia diversa, onde pessoas com e sem deficiência possam desfrutar ao mesmo tempo de uma obra de arte, quebrando qualquer tipo de segregação e explorando muitas formas de comunicação possíveis, através dos diversos sentidos do ser humano.
Afinal, somos uma Cia feita de sonhos, diários e cartões postais.

A TAGARELLAS AUDIODESCRIÇÃO
A Tagarellas Audiodescrição coordena a produção de recursos de acessibilidade para produtos audiovisuais, editoriais e eventos. Empresa porto-alegrense em atividade desde 2012, é integrada por audiodescritores profissionais e defende o protagonismo das pessoas com deficiência tanto no consumo quanto na produção de arte, cultura e informação.
A premissa é o trabalho em parceria, abolindo o conceito de concorrência para apostar na ideia de que as ações de produção, defesa e promoção da acessibilidade devem ser construídas coletivamente, agregando como parceiros outros audiodescritores e empresas de acessibilidade em todo o Brasil e no exterior, profissionais das mais diversas áreas, instituições, entidades, ativistas e todos que estiverem dispostos a trabalhar em bloco pela causa da inclusão pela acessibilidade.
Perseguindo a máxima qualidade a cada novo projeto, a Tagarellas Audiodescrição reforça seu compromisso com os usuários – um público crescente e bastante exigente. E, trabalhando em rede, com parceiros afinados a suas convicções, acredita firmemente que informação e cultura acessíveis fazem bem para todo mundo.
Entre suas produções destacam-se audiodescrições para os filmes A Despedida, Colegas, Tereza & Tereza, Naquela Época e Hoje, Perfeito e 1000 Dias Para os Jogos Paralímpicos; os espetáculos de teatro A Menina do Cabelo Vermelho, Filó de Bolso e Não Me Toque Estou Cheia de Lágrimas - Sensações de Clarice Lispector; as exposições O Som da Tinta e Pés-Columbinos; e as publicações RioAtivo, Revista da Extensão da UFRGS e Sonhos do Dia.